Empreendedorismo feminino: o mercado do sucesso

Você já parou para pensar o quanto as mulheres estão crescendo no mercado de trabalho? Não é só isso não, ela está cada vez mais presente à frente de grandes negócios.

Esse movimento gerou uma mudança no mercado de trabalho, gerou ideias e aumentou a diversidade.

Além disso, tem contribuído para o empoderamento das mulheres, abrindo caminho para que elas não apenas se tornem líderes de equipes, mas também se tornem líderes de suas próprias trajetórias profissionais e pessoais.

O empreendedorismo feminino está dando grandes passos para mudar a cara do mercado e deve se desenvolver ainda mais nos próximos anos.

Afinal, a posição das mulheres também é importante, elas provam que entendem de gestão e resultados. Apesar dos desafios de ocupar uma posição masculina na história, as empresárias ainda estão em contato com os homens e quebrando barreiras ano a ano em busca de reconhecimento e igualdade de oportunidades.

Para entender a situação do empreendedorismo feminino no Brasil, continue lendo conosco o artigo a seguir:

O que é empreendedorismo feminino?

O empreendedorismo feminino é um movimento que reúne empresas idealizadas e lideradas por uma ou mais mulheres.

Em linhas gerais, isso também pode ser entendido como uma iniciativa de liderança feminina, incluindo o papel de mulheres em cargos de chefia na empresa.

Isso porque a imagem de um empreendedor não se limita apenas a quem abre seu próprio negócio, mas também a quem aposta na determinação, na coragem e na inovação.

Empreendedorismo feminino: o mercado do sucesso

Ser empresário significa ser um diretor que cria novas ideias por meio da confluência de criatividade e imaginação.

Mas o empreendedorismo feminino vai além dessa definição, representando uma mudança de paradigma nas habilidades de liderança das mulheres. Portanto, o empreendedorismo feminino ganha força e apoio de organizações e pessoas ao redor do mundo.

O empreendedorismo feminino foi criado para reduzir a desigualdade de gênero, onde as mulheres hoje podem atuar em áreas de prioridades.

Você sabia que existe um dia destinado a comemoração do empreendedorismo feminino?

Desde 2014, a Organização das Nações Unidas (ONU) designou 19 de novembro como o Dia do Empreendedorismo Feminino.

No ano de fundação, a data foi comemorada durante a Semana Global do Empreendedorismo, e as atividades foram realizadas em mais de 150 países. A ideia é chamar a atenção mundial para o impacto econômico e social do esporte, valorizando o papel da mulher. O Dia do Empreendedorismo feminino é uma das iniciativas coordenadas pela ONU Mulheres.

A ONU Mulheres é o braço para unir, fortalecer e expandir os esforços globais para defender os direitos humanos das mulheres.

Entenda a importância do empreendedorismo feminino…

O empreendedorismo feminino tem contribuído para a construção de uma sociedade mais justa e criado oportunidades de liderança para as mulheres.

Embora representem 52% da população do Brasil, representam apenas 13% das 500 maiores empresas do país.

Assumir o próprio negócio é uma forma de empoderamento e promoção a cargos de liderança, que pode mudar a realidade das mulheres empresárias.

Com isso, o atual cenário é que as mulheres estão cada vez mais independentes atuando no seu próprio negócio, fazendo atividades que antes eram exercidas somente pelos homens.

Estimular o empreendedorismo feminino é necessário porque as posições de liderança das mulheres irão melhorar a sociedade, a economia e as empresas.

Empreendedorismo feminino: o mercado do sucesso

É importante estimular o empreendedorismo feminino em 3 pilares, sendo eles para a sociedade, empresas e economia.

O empreendedorismo feminino desempenha um papel importante na redução da lacuna entre as oportunidades de desenvolvimento de carreira masculina e feminina. Mas não só isso. O movimento também é propício à diversificação de empresas globais, destacando as perspectivas inovadoras apontadas pelos empresários.

Além de enriquecer a filosofia empresarial, a incorporação de novos empreendedores terá impacto significativo no Produto Interno Bruto (PIB) global.

Mulheres com comportamento empreendedor são parte importante da estratégia da empresa. Um exemplo disso é a Avon, uma das maiores empresas de cosméticos do mundo formada por mulheres.

Apostar na liderança feminina não só conecta os clientes da maioria das empresas, mas também utiliza os talentos de toda a organização, pois no Brasil as mulheres são maioria.

Desafios que o empreendedorismo feminino ainda enfrenta

Em geral, os empresários consideram a liberdade o principal motivo para abrir um negócio, e as mulheres brasileiras acabaram tomando essa decisão por causa de decisões desnecessárias para aumentar sua renda ou obter independência financeira. Isso porque muitas vezes eles precisam cuidar da família.

Outros desafios estão relacionados à gravidez e ao parto, que exige maior flexibilidade no trabalho. Dados da Rede Mulher Empreendedora (RME) mostram que 53% das empresárias brasileiras são mães, e a maioria deseja flexibilidade de horários para conciliar trabalho familiar e profissional.

Devido ao espaço limitado para cargos de gestão nos mercados tradicionais, muitos empresários também optam por esse caminho.

Nesse tipo de ambiente empresarial, eles ainda enfrentam assédio e preconceito, começando com pensamentos retrógrados, como são muito emocionais ou, se têm filhos, não podem dar o seu melhor a empresa.

Perfil da Mulher Empreendedora

Na verdade, o talento administrativo nada tem a ver com gênero. Homem ou mulher, o dirigente da empresa deve ter perseverança, tenacidade e dedicação ao controle financeiro, financeiro e tributário, caso contrário dificilmente terá sucesso.

No entanto, certas características das mulheres contribuem para a imagem de empreendedoras com grande potencial de sucesso. Afinal, parece que algo frágil pode ser a vantagem de se dirigir a uma empresa.

A inteligência emocional feminina pode ser o melhor exemplo, pois desempenha um papel positivo no relacionamento fácil com clientes e fornecedores e no processo de tomada de decisão da empresa, principalmente em situações sutis e desfavoráveis.

Nessas horas, outra qualidade que surge é a paciência, pois a impulsividade raramente funciona no empreendedorismo.
Hoje, a tendência é adotar uma abordagem baseada em dados (baseada em dados) e desenvolver habilidades analíticas para tomar decisões com base em dados concretos (em vez de suposições ou intuição).

Além disso, se essa é uma boa estratégia de que a empresa precisa, nada mais é do que ter gestores qualificados, detalhados e atenciosos. E não há necessidade de lembrar a capacidade de desenvolver tarefas simultaneamente sem preconceitos.

Especialmente em pequenas empresas, este é um fator chave para determinar o crescimento dos negócios.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *